A escolha errada

Davi escolheu a mulher alheia. Sansão, a mulher devota a outros deuses. Judas traiu Jesus, em troca de moedas. A mulher de Ló olhou para traz, tonando-se assim uma estátua de sal.

Todos, devido a escolha (errada) que fizeram, tiveram grandes problemas, alguns causaram até sua própria ruína.

Dizem que certas escolhas, mesmo erradas, nos tornam maduros, nos fazem crescer. Concordo. Porém, não há nada melhor do que aprender com os erros alheios.

Todos os dias fazemos escolhas erradas, basta estarmos atribulados com certa situação ou apavorados.

É muito comum dizer que ninguém é muito “racional” quando está com os nervos a flor da pele (uma desculpa excelente, por sinal). Mas pense um pouco… É preciso ser racional para encontrar uma saída para qualquer problema.

Para tomar uma atitude errada você também precisa ser racional!

Ló (o marido da estátua de sal) tinha duas filhas. Moravam os três em Zoar. Mas devido ao medo dos últimos acontecimentos, saíram de sua casa e foram morar em uma caverna nas montanhas. Suas duas filhas, vendo que ali não havia homens para que pudessem se casar e ter filhos (como de costume dos antigos, já que a descendência devia continuar) decidiram aproveitar o fôlego que ainda restava de seu pai e fazê-lo pai de seus filhos (ato abominado pela lei de Deus e do homem). Porém, é claro, teria de ser de uma forma inteligente, afinal, qual pai concordaria? Mas isso não foi um problema para as filhas de Ló. Algumas boas quantidades de vinho foram o suficiente para deixá-lo bêbado e então consumar o ato sexual com as próprias filhas. Isso foi feito durante duas noites. Após nove meses, ambas deram a luz ao filho de seu próprio pai.

A escolha errada das filhas de Ló acarretou no sofrimento do povo de Deus (daquela época). Seus filhos foram chefes de nações malditas e cruéis.

Porém, para executar essa escolha, foi preciso ser racional. Elas pensaram, mesmo estando desesperadas por uma solução.

A escolha poderia ser outra, bastava terem pensado mais ou de outra forma, da forma correta.

Assim como você, eu, nós podemos pensar antes de cometer nossos erros. Basta usar e saber usar o raciocínio.

Estamos sujeitos, sim, a fazer escolhas erradas o tempo todo. Mas escolher certo é tão fácil quanto o oposto. Ambos precisam de raciocínio. O que difere é a vontade de acertar!

Texto: Amanda Madureira

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *