A Liberdade do Senhor

A essência do ensinamento do apóstolo Paulo durante todo o capítulo 14 do Livro de Romanos engloba liberdade no agir, fidelidade à própria convicção e o cuidado para o não julgamento prévio, leviano, além do cuidado para não tornar-se pedra de tropeço para quem quer que seja.

Ele, que foi enviado aos gentios para pregar-lhes as boas-novas da Salvação – por ter alcançado graça diante do Senhor -, logrou êxito e levou muitos gentios a se converterem à fé cristã. Contudo, muitos desses novos convertidos tinham dúvidas a respeito da nova vida com Cristo. Essas dúvidas geravam vários ensinamentos distorcidos, o que complicava a vida dos recém-convertidos.

Por isso, o ensinamento do apóstolo Paulo nesse capítulo é tão rico e abrangente. Logo de início, aprendemos que o débil na fé deve ser acolhidos para ser ajudado e não para tornar-se mais confuso em suas convicções. Para isso, ele nos adverte quanto às discussões desnecessárias, pois cada um tem uma visão pessoal das coisas.

Quando se alcança este entendimento, torna-se fácil aceitar que cada um tem liberdade para agir como acredita ser correto, o que significa que a liberdade que temos, devemos dar aos outros. Neste ponto, entendemos que julgar uns aos outros não é um comportamento adequado, já que somente o Senhor é Justo Juiz. Na verdade, cada um deve ter bem claro e definido o que quer da vida e viver da própria fé, consciente de que as coisas de Deus são equilibradas e que devemos seguir os Seus passos, agindo coerentemente.

Alguém, neste momento, poderá se perguntar: será que devo fazer o que sinto que o Espírito quer que eu faça, mesmo tendo sido aconselhada a não fazer? Minha resposta é a seguinte: vá na sua fé e não na opinião alheia. Ninguém pode impor a fé às outras pessoas. Quanto a isso, o apóstolo escreveu: “A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova.” Romanos 14.22

Meus amigos viviam na própria fé, pratiquem-na, assumam-na e deixem os outros de lado. Não firme sua fé em A, B ou C, porque, se você firmar sua fé em alguém e este cair, você cai também. Segure-se na própria fé, pois esta é a vontade de Deus.

Imagem: Internet

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *