A praga do sentir

AVISO: o texto a seguir pode ser ofensivo aos super sensíveis.

O grande mal do ser humano é colocar os sentimentos antes da inteligência. As pessoas estão mais preocupadas com o que sentem do que com entender o que se passa com elas e no mundo ao seu redor. Por isso erram. Por isso se deprimem. Por isso se digladiam.

Enquanto eu sentia meus problemas de casamento, eles cresciam. Quando eu comecei a usar a minha cabeça e ignorei minhas emoções, fomos solucionando-os um a um.

As pessoas que vivem pelos sentimentos reagem sem pensar ao que lhes acontece. Raramente perguntam “por quê”, buscando realmente entender o que está acontecendo e qual a melhor maneira de agir.

Por que são assim?

Porque quando sua esposa está lhe chateando, é mais fácil levantar, bater a porta e ir para o bar.

Porque quando alguém fala algo que você não gosta, é mais fácil atacar a pessoa, xingá-la e denegrir seu caráter.

Porque é mais fácil continuar crendo na bonita história que sempre lhe contaram.

Porque quando você se sente para baixo, é mais fácil deixar cair os ombros, ficar em casa com roupa de doente e ligar para o patrão dizendo que não vai poder ir trabalhar.

Porque quando alguém lhe desafia a pensar e a ser melhor, é mais fácil ignorar o que ele diz e achá-lo um esnobe.

Pessoas que vivem pelo que sentem são inteligentes também. Apenas ainda não aprenderam a inteligência emocional — quer dizer, conhecerem a si mesmos e a outros, suas reações emotivas, e não deixarem ser dominados por elas.

Quem é dominado pelo coração sentimental paga um alto preço na vida. O maior deles é o de viver enganado.

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” Jeremias 17.9

Fonte: Renato Cardoso

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *