Cadê o Juiz?!

São Paulo, Rio, Brasília, Maceió, Salvador, Porto Alegre, Belém, Vitória, Curitiba…
Copa das Confederações… Mundo.

Sinceramente, estava escrevendo outro texto…
Mas não permite falar sobre outro assunto, o presente contexto.

“O preço do transporte foi a gota d’agua que fez o copo transbordar…” li num dos muitos artigos que define muito bem a onda generalizada de protestos contra uma insatisfação não apenas comum,  nacional. Crescente. Violenta… E insensata.

Mas até quando?

Até quando se confiará em protestos verbais e movimentos revoltosos sem a direção do Alto?

Será realmente que alguém consegue acreditar que, por esse meio, colocando Deus de lado, conquistaremos a tão clamada Justiça?!

É certo que por reações assim a democracia e muitas outras vitórias foram alcançadas… Mas as injustiças continuam. Ou não?!
E continuam porque os que vão as ruas, palcos e praças, embora muitos, estão sós.

Ainda vivemos num país espiritualmente cego. Que vaia autoridades e depreda patrimônios públicos, chamando isso de revolta.

Cego numa luta ignorante esmurrando ponta de faca quando o problema está dentro, não fora.

Que faremos então, se a vozeria do prélio inútil causa ruído aos vãos gemidos do Entendimento e da Compreensão?

Certa vez um homem justo que também amava a Justiça e por semelhante situação passou, não só por ela clamou…

Mas também ensinou:

“Por que, SENHOR, te conservas longe? E te escondes nas horas de tribulação? Com arrogância, os ímpios perseguem o pobre; sejam presas das tramas que urdiram. Pois o perverso se gloria da cobiça de sua alma, o avarento maldiz o SENHOR e blasfema contra ele. O perverso, na sua soberba, não investiga; que não há Deus são todas as suas cogitações. São prósperos os seus caminhos em todo o tempo; muito acima e longe dele estão os teus juízos; quanto aos seus adversários, ele a todos os ridiculiza. Pois diz lá no seu íntimo: Jamais serei abalado; de geração em geração, nenhum mal me sobrevirá. A boca, ele a tem cheia de maldição, enganos e opressão; debaixo da língua, insulto e iniquidade. Põe-se de tocaia nas vilas, trucida os inocentes nos lugares ocultos; seus olhos espreitam o desamparado. Está ele de emboscada, como o leão na sua caverna; está de emboscada para enlaçar o pobre: apanha-o e, na sua rede, o enleia. Abaixa-se, rasteja; em seu poder, lhe caem os necessitados. Diz ele, no seu íntimo: Deus se esqueceu, virou o rosto e não verá isto nunca. Levanta-te, SENHOR! Ó Deus, ergue a mão! Não te esqueças dos pobres. Por que razão despreza o ímpio a Deus, dizendo no seu íntimo que Deus não se importa? Tu, porém, o tens visto, porque atentas aos trabalhos e à dor, para que os possas tomar em suas mãos. A Ti se entrega o desamparado; tu tens sido o defensor do órfão. Quebranta o braço do perverso e do malvado; esquadrinha-lhes a maldade, até nada mais achares. O SENHOR é rei eterno: da sua terra somem-se as nações. Tens ouvido, SENHOR, o desejo dos humildes; tu lhes fortalecerás o coração e lhes acudirás, Para fazeres justiça ao órfão e ao oprimido, a fim de que o homem, que é da terra, já não infunda terror.” Salmos 10

Um autêntico Filho da Fé, ensinando aos seus descendentes que não há Justiça…

Sem o Juiz.

David BSA

*Publicado em 2013

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *