Colocando limites

Não há nada no mundo que, sem limites, faça bem. Por mais chocólatra que uma pessoa seja, em algum momento ela terá que parar de comer, ou logo vem as dores na barriga.

Tudo nesta vida é uma arma. Tanto pode matá-lo (a), como pode dar vida. O que difere é a frequência que você utiliza certa coisa.

Comer é bom, mas engorda. Dormir é bom, mas atrasa.  Beber é bom, mas prejudica o fígado. Ler a bíblia é bom, mas enlouquece. Estudar é bom, mas cansa a mente. Malhar é bom, mas destrói o corpo. Ter amigos é bom, mas atrapalha o relacionamento. 

Você acabou de ler as duas versões das melhores coisas da vida (variando de pessoa para pessoa).

Para experimentar apenas o melhor das melhores coisas, é preciso ter algo chamado: equilíbrio – o grande responsável por impor limites! – Não o vemos nem sentimos. Mas, ao colocarmos em nossa mente que ele existe tudo funciona melhor.

Não é preciso se aproximar muito, para que a sua consciência já lhe mostre que o limite chegou ou está chegando (quando isso acontece é sinal de que você tem uma mente equilibrada, fruto de uma pessoa com o mesmo espírito).

A partir daí, a escolha é sua. Sua mente é como um instrutor. Porém, a decisão final e atuação, é exclusividade sua (infelizmente, em muitos casos).

Você sabe bem a hora do “basta”. Só precisa concilia-la com a força de vontade. É difícil, mas, se pensarmos na consequência, o “basta” chega num pulo! 

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *