Carta às sete igrejas

As cartas às sete igrejas compõem a segunda parte do Apocalipse. Elas estão relacionadas aos fatos que são, isto é, à condição espiritual da Igreja.

Não há nenhuma indicação de que tenham sido dirigidas exclusivamente àquelas sete igrejas da Ásia, mas sim que suas mensagens foram direcionadas para toda a Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo. Tanto para a Igreja atual quanto para a Igreja de diferentes épocas.

Há quem creia que estas cartas são proféticas, no sentido de que cada uma é dirigida à Igreja de uma determinada época, na história eclesiástica. Assim:

1) Carta à Éfeso – A Igreja do final da Era Apostólica.

 

2) Carta à Esmirna – A Igreja da época das perseguições, até o ano 316.

 

3) Carta à Pérgamo – A da época de favor imperial: de 316 a 500.

 

4) Carta à Tiatira – A Igreja da chamada Era Negra: de 500 a 1500.

 

5) Carta à Sardes – A Igreja do tempo das reformas: de 1500 a 1700.

 

6) Carta à Filadélfia – A da Era das Missões Modernas: de 1700 a 1900.

 

7) Carta à Laodicéia – A Era da Igreja Apóstata: de 1900 até a volta do Senhor Jesus.

 

Não se pode negar que assim como no sonho que teve o rei Nabucodonosor, quando viu uma estátua das nações, na qual a redução da qualidade exterior das potências mundiais foi representada por metais ouro, prata, bronze e ferro e também barro, a condição espiritual da Igreja diminuiu no decorrer dos séculos.

E devido a inúmeros fatores, a Igreja dos últimos tempos é muito semelhante à igreja de Laodicéia. Entretanto, as sete cartas revelam aspectos positivos e negativos presentes na Igreja em todas as épocas!

A mensagem das sete cartas contém instruções, advertências e edificação. Nelas, o Senhor Jesus revela a Sua vontade, bem como a Sua condenação aos pecados existentes.

Ele dá instruções com respeito ao que deve ser feito imediatamente; adverte quanto ao perigo da desobediência à Sua Palavra e da acomodação espiritual; edifica no sentido de que mediante a vigilância e a fidelidade a Ele haverá recompensa eterna.

Além disso, nas cartas, o Senhor mostra o caráter em que a pessoa, ou a igreja, pode julgar a si mesma e avaliar a sua condição espiritual diante de Deus. Conforme já dissemos, essas cartas são um espelho que retrata a situação espiritual de cada cristão e de cada igreja cristã.