Os dois tipos de fé

Até o presente momento, são conhecidos apenas dois tipos de fé: natural e sobrenatural. A fé natural se caracteriza pela autoconfiança que nasce juntamente com o homem, de maneira geral, e à medida que o ser humano vai adquirindo mais conhecimentos, vai se desenvolvendo cada vez mais.

Ela fica evidente nas mínimas atitudes que tomamos a cada momento da vida. Por exemplo, quando nos levantamos pela manhã, inconscientemente manifestamos a fé natural, pois cremos que os nossos pés suportarão o peso do nosso corpo para nos moverem até o lugar que determinarmos.

Quando tomamos um ônibus, um trem, um táxi, ou qualquer outra condução, cremos naturalmente que chegaremos ao destino traçado. Naquele momento, não surge em nossa mente nenhuma dúvida quanto à capacidade das pessoas que conduzirão aquele veículo. Porque há em nós uma certeza natural de que tudo está sob controle, e que dentro de algum tempo estaremos no lugar desejado.

A fé natural também se faz presente quando executamos um trabalho, por acreditarmos previamente que no final do mês receberemos o devido salário. Quando o agricultor planta sua semente, ele está manifestando a sua fé natural, pois crê que no tempo apropriado, colherá os seus frutos.

O paciente precisa da fé natural para se tratar com o seu médico, e o médico, por sua vez, também necessita da fé natural para tratar do seu paciente; pois como poderia receitar um determinado tratamento se ele mesmo não cresse no poder curativo do mesmo? Assim acontece com o dentista, o advogado, o engenheiro, o construtor, o comerciante, o industrial, o político, enfim, com aquele que tem algo a realizar.

Em tudo na vida, quer seja de forma direta ou indireta, existe uma manifestação natural de confiança. Ela é tão importante para a vida humana quanto o oxigênio, a água, a terra e o sol. É claro que a maioria das pessoas nem se dá conta disso, mas, mesmo assim, elas se mantêm dependentes da fé natural para viver. O interessante é que, a despeito daqueles que não creem em Deus ou que simplesmente O ignoram, ainda assim, há uma necessidade a cada instante desse poder natural que vem dEle.

Enquanto a fé natural faz a pessoa crer que o conhecimento da ciência produz desenvolvimento, a fé sobrenatural faz a pessoa crer que tudo o que Deus tem prometido na Sua Palavra se cumprirá na integra, independente de quaisquer circunstâncias. A fé sobrenatural está acima da fé natural e até da própria razão.

Não existe uma explicação razoável para a fé sobrenatural, apenas aquilo que a Bíblia diz,  ou seja, que ela é a certeza de coisas que se esperam e a convicção de fatos que não se veem. Um exemplo disso aconteceu quando o Senhor Jesus ordenou à figueira que nunca mais produzisse figos. Ora, Ele estava falando com algo que não tinha e não tem ouvidos!

Talvez alguém diga que Jesus é Deus e pode fazer qualquer coisa, até mesmo uma figueira ouvir. Então, qual seria a justificativa para Abraão, que chegou a ponto de levar o seu único filho ao sacrifício? E o que dizer de Moisés, que diante do mundo foi considerado louco, por abandonar o trono do Egito, o maior e mais avançado país do mundo na época, para se sujeitar a viver na fé de seus pais? E Josué, que teve uma fé louca e audaciosa, a ponto de ordenar que o Sol ficasse retido?

A fé sobrenatural não dá a mínima importância às circunstâncias adversas. Ela é senhora imbuída de autoridade suprema. Quando se manifesta, as coisas que não existem passam a existir. Por isso, o Espírito Santo, através do apóstolo Paulo, afirma que a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, e que aprouve a Deus salvar os que creem, pela loucura da pregação! Em outras palavras: a fé sobrenatural é loucura para os que vivem segundo a fé natural ou segundo o curso deste mundo.

Imagem: Shutterstock

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *