Riqueza inútil

“E, se Eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para Mim mesmo, para que onde Eu estiver estejais vós também.” João 14.3

João era um empregado pobre, servindo a um rico médico em Londres, Inglaterra. O patrão de João amava o Senhor Jesus e frequentemente fazia reuniões da igreja na grande sala de estar de sua casa. Em uma dessas reuniões, o médico falou sobre a segunda vinda de Jesus para levar para os Céus todos aqueles que crêem em Seu nome. Todos os demais, disse ele, seriam deixados para trás.

Após o encerramento da reunião, o médico falou para seu empregado:

– Bem João, quero lhe dizer que se Jesus voltar antes de eu morrer, não precisarei de mais nada do que possuo. Eu irei com Ele para as mansões celestiais e você pode ficar com minha casa e todo o meu dinheiro – Tal oferta surpreendeu a João. Ele somente gaguejou, obrigado. Naquela noite ele não conseguiu dormir.

Passou a noite pensando no motivo pelo qual seu patrão havia lhe oferecido toda aquela riqueza. De repente ele refletiu:

“Por que devia eu querer uma casa e mobília, um carro, cavalos, e dinheiro depois do Senhor vir? Seria terrível ser deixado para trás, mesmo com todos aqueles bens!”

Ele não conseguiu suportar mais aqueles pensamentos. Levantou-se rápido de sua cama, correu pelo corredor e bateu na porta do quarto de seu patrão.

– O que houve, João? – Perguntou o médico.

– Por favor, senhor – disse João – Eu não quero sua casa depois da volta do Senhor, nem seu carro, ou cavalos, ou dinheiro.

– Bem, João, o que você quer?

– Oh senhor, eu quero estar pronto quando o Senhor vier, ir com Ele para o Céu.

Ali mesmo, no quarto do patrão, João recebeu o Salvador no coração.

Como estão enganados aqueles que passam toda a vida amealhando bens e riquezas julgando que estão construindo o castelo de sua felicidade. Quanto mais têm, mais querem. Acham que a felicidade aumentará de acordo com o crescimento do saldo bancário. Pura ilusão!

Tudo passa rapidamente, inclusive a felicidade alicerçada em coisas materiais. Ela desaparecerá no exato momento em que a riqueza também desaparecer. Quando o Senhor voltar para buscar os Seus filhos, não levaremos malas, nem talões de cheque e nem escrituras de imóveis. Tudo ficará aqui, sem nenhum proveito. E mais triste do que deixar a riqueza neste mundo é ficar aqui com ela, sem a felicidade do porvir e sem as bênçãos maravilhosas de Deus.

Imagem: Internet

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *