Uns e outros

“Meu filho, arrume as malas. Fomos Transferidos.”

Dependendo do destino… ou não:

Uns choram. Outros vibram. Uns se entristecem. Outros confiam.

Uns negam obedecer. Outros sacrificam seu querer.

Uns sonham abandonar essa vida e tocar a própria; e até o fazem.

Outros perseveram firmes na convicção de que sua jornada será uma forte história.

Diferentes reações para uma mesma situação: Recomeço.

Logo agora que as coisas estavam se arrumando, amizades sendo feitas, planos sendo escritos ou, quem sabe, um amor recém-nascido.

Tudo desmoronando de forma recorrente.

Desmoronando ou recomeçando?

Recomeçando ou desenvolvendo?

Bom. Isso é uma questão de ponto de vista. Como quase tudo nessa vida.

Quase, ponto. Existe uma constante nessa circunstância: A necessidade de amadurecer ou resiliência.

Uns a negligenciam. Outros têm aprendido seu valor.

Oh quão privilegiados somos!

Se sabes, diga-me uma situação mais propícia ao amadurecimento do que a peregrinação.

Sem destino, Noé navegou por águas misteriosas de horror e morte.

Sem destino, Abraão abandonou a própria casa para viver em desertos.

Sem destino, Isaque, Jacó, José, Moisés e os escravos hebreus peregrinaram.

Vagaram em obediência a Voz que lhes escolheu. E se tornaram uma nação forte e atualmente uma das maiores potencias militares do mundo.

De peregrinos a soldados de elite amadurecidos pelo tempo, pelas diversas experiências e constantes batalhas.

Como disse, privilegiados.

Mas quem sou eu para dizer? Afinal é uma questão de ponto de vista, não?

Uns discordam, outros concordam.

Uns são filhos da carne, outros, filhos da Fé.

*Reflexão dedicada aos filhos de pastores

Imagem: Internet

Texto: David BSA

Thiago Teixeira

Idealizou o Filhos da Fé junto de seu amigo, Amaury. Desenvolve seu talento diariamente em prol do amor as almas. | Email: thiago@filhosdafe.blog.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *